Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

Café do Eu, por Nuno Nabais

 


 

Todo o trabalho de clarificação dos conceitos se faz construindo novos conceitos.Nem sempre isso  significa que tenhamos que inventar um novo léxico. Pensar, por exemplo,  a "beleza", a "felicidade",  a "justiça" ou  "democracia", pode implicar simplesmente redistribuir sinónimos, estabilizar oposições, tornar mais sofisticadas as nossas classificações. Mas o que leva alguns a ler os clássicos é a necessidade de reinvenção da própria língua em que pensamos. De Platão e Aristóteles a Wittgenstein, Freud ou Deleuze, atravessando tradições e traduções, foram-se depositando nos nossos dicionários palavras sem as quais já não saberíamos viver, como "ideia", "substância", "estado de coisas", "superego" ou "acontecimento". Quer reformulando termos comuns, quer visitando a biblioteca universal, o trabalho da criação de conceitos é absolutamente solitário. Ele vem sempre acompanhado de um sentimento de si íntimo, que mobiliza no acto de compreensão  todas as nossas memórias e afectos. E, ao mesmo tempo, esse trabalho é sempre colectivo. Um conceito só significa algo se puder ser partilhado por uma comunidade. O objectivo do Café do Eu, ao revisitar, no espaço de uma livraria, alguns dos grandes conceitos que atravessam o fundamental das nossas vidas, é facilitar esse confronto entre a solidão do Eu, a universalidade dos clássicos, e a confusão do Nós.
NN

 

publicado por bloguedoscafes às 19:53
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Pedro a 16 de Fevereiro de 2011 às 09:26
Bom dia,

O Blogue dos Cafés está em destaque nos Blogs do SAPO, em http://blogs.sapo.pt

Parabéns e boa continuação!

Pedro
De Amigos do Concelho de Aviz a 16 de Fevereiro de 2011 às 11:41
A cultura deve ser preservada a todo o custo. Por isso peço desculpa por vir ocupar este espaço que é seu para, juntos, divulgarmos os IX JOGOS FLORAIS DE AVIS, cujo regulamento já se encontra disponível em www.aca.com.sapo.pt em “destaques”.
Obrigado.
Fernando Máximo/Avis
De carlos a 19 de Dezembro de 2011 às 22:25
Não tanto a linguagem ou as palavras. Talvez se possa fazer filosofia ou pensar sem palavras. Se leio filósofos, mais do quaisquer outros, é por me arrastarem. Sou possuído e volto modificado, é pela sensualidade que se torna possível pensar, não pelas palavras. Nem pelos discursos, nem pela comunicação. E assim também não sinto que seja por uma partilha que se funciona ou que se penetra num comum, numa comunidade. Será sim por um extremo, por um passar dos limites, um saltar o muro, é pela invenção dum novo mundo que se constrói um comum. A construção será assim sempre revolucionária, sempre um devir. Um materialismo absoluto do devir. Da Revolução. Que outra práxis faz sentido nos tempos que correm?...

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.posts recentes

. Próximo Café da Política ...

. Próxima sessão: Café do E...

. ...

. FERNANDO PESSOA POR JERÓN...

. HOMENAGEM A JOSÉ SARAMAGO

. O REGRESSO DO CAFÉ DA POL...

. ...

. O REGRESSO DO CAFÉ DO EU

. O REGRESSO DO CAFÉ DOS DI...

. PRÓXIMA SESSÃO: NÓS E OS ...

.arquivos

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

.links

.Ligações

A Arte da Fuga

A Barbearia do Senhor Luís

A Causa Foi Modificada

A Civilização do Espectáculo

A Destreza das Dúvidas

A Douta Ignorância

A Montanha Mágica

A Natureza do Mal

A Origem das Espécies

A Senhora Sócrates

A Terceira Noite

A 1 metro do chão

ABC do PPM

Abrupto

Albergue Espanhol

Almocreve das Petas

Amor e Outros Desastres

Arcádia

Arrastão

Aspirina B

Avatares de um desejo

Bandeira ao Vento

Bairro Melancómico

Beira-Tejo

Bibliotecário de Babel

Bic Laranja

Bicho Carpinteiro

Blasfémias

Blogue de Direita

Câmara de Comuns

Câmara dos Lordes

Cartas do Meu Moinho

Causa nossa

Cibertúlia

5 Dias

Circo da Lama

Clube das Repúblicas Mortas

Complexidade e Contradição

Contra a Corrente

Corta-Fitas

Córtex Frontal

Da Literatura

Delito de Opinião

Desesperada Esperança

Devaneios

Distúrbios Elementares

Don Vivo

É tudo gente morta

Era Uma Vez na América

Espumadamente

Estado Sentido

F World

Gato do Cheshire

Horizonte Artificial

Farmácia Central

Fio de Prumo

Gravidade Intermédia

Hoje Há Conquilhas

Horas Extraordinárias

Impensável

Impertinências

Irmão Lúcia

Jacarandá

Joel Neto

Jonasnuts

Jovens do Restelo

Jugular

Ladrões de Bicicletas

Léxico Familiar

Ler

Lóbi do Chá

Lucy Pepper

Lugares Comuns

Mar Salgado

Margens de Erro

Meditação na Pastelaria

Memória Virtual

Menina Limão

Minoria Ruidosa

Miss Pearls

Mood Swing

Nortadas

O Cachimbo de Magritte

O Carmo e a Trindade

O Diplomata

O Escafandro

O Insurgente

O Jansenista

O Jardim Assombrado

O Silêncio dos Livros

O Tempo das Cerejas

Os Comediantes

Os Tempos e as Vontades

Palavrossavrvs Rex

Pastoral Portuguesa

Pedro Rolo Duarte

Portugal dos Pequeninos

Provas de Contacto

Rititi

Rui Zink

Rulote

Shakira Kurosawa

Sound+Vision

Suction with Valcheck

The Sock Gap

31 da Armada

Um Homem na Cidade

União de Facto

Vasco Campilho

Vastulec

Vida Breve

Vontade Indómita

Voz do Deserto

blogs SAPO

.subscrever feeds